Um município de oportunidades

Biografia do Mestre Antônio Luiz de Souza

Cultura Máscaras
Fotografia de Tiago Santana

Antônio Luiz de Souza, nascido no dia 21 de setembro de 1957, no sítio Sassaré, município de Potengi, Ceará. Filho do casal de agricultores Luiz Gonzaga de Sousa e Neuza Francisca de Souza. Neuza Francisca de Souza, sua mãe teve 17 filhos, sendo que apenas 3 sobreviveram. Seus filhos ainda vivos são: o primogênito Francisco Gonzaga de Souza, conhecido popularmente de Chicão, Antônio Luiz de Souza e Valdeir Ferreira de Lima.

Antônio Luiz estudou as primeiras letras na zona urbana em Potengi, suas primeiras professoras foram Francisca de Moura, Zuleide e Dona Roseli. Na escola aprendeu a carta do ABC. Com dona Roseli aprendeu a cartilha fazendo até o primeiro ano do ensino fundamental. O percurso para ir à escola era feito a pé, ele saia de casa às cinco horas da manhã (5hs00), sua mãe lhe preparava um lanche para comer na escola, era um bolo conhecido como chapéu-de-couro, comida feita à base de moído de milho, deixava o milho de molho na água morna e depois “pisava” o milho no pilão ou moída no moinho, trabalho realizado com mão de obra braçal.

Já no sítio Rio dos Moreiras, sítio que fica próximo ao Sassaré, Antônio Luiz estudou o MOBRAL (Movimento Brasileiro de Alfabetização) É no Movimento Brasileiro de Alfabetização, em 1968, que Antônio Luiz aprende a escrever seu nome. No Rios dos Moreiras tinha um professor conhecido como Bebeto, ele fazia peças teatrais e sempre convidava Antônio Luiz para fazer o papel de palhaço, tanto que o nome era palhaço carrapicho. Nesse período Antônio Luiz não estudava mais, mas animava os alunos do professor Bebeto com suas palhaçadas.

Antônio Luiz trabalhou na roça desde de menino. Estudava no período diurno e quando chegava em casa umas doze horas da tarde (12hs00) o menino almoçava e depois iria cuidar das tarefas do roçado.

Na casa que Antônio Luiz de Souza mora ainda hoje, chegou aos 12 anos de idade, quem morava na casa era sua avó, ele morou por muito tempo com ela. Seu Luiz fala da sua casa: “É que nem um tesouro esta casa. Aí parece que enterraram meu umbigo aqui... e não sei onde foi não, não tem como eu sair daqui não, só para o cemitério”.

No ano de 1985, com 29 anos de idade, casou-se com Raimunda Pereira dos Santos, conhecida por todos como Rosa. Eles se conheceram em 1982, na época Antônio Luiz trabalhava na construção das casas populares na sede em Potengi, passaram um ano namorando e em 85 se casaram. Antônio Luiz fala sobre o casamento: “Nessa época, não é que nem hoje, no tempo que eu casei, você tinha que casar primeiro no civil, depois casava no padre, a esposa ainda passava oito dias com os pais para depois ir morar com o marido”. Casado, aumenta a responsabilidade de cuidar do roçado, é nesse período que passa a comandar o grupo do reisado de caretas no sítio Sassaré, reisado formado pelo Seu Antônio Luiz com a compra das figuras e máscaras do reisado de Chagas, dona Rosa ajuda o reisado costurando os trajes do caretas quando as roupas estão danificadas.

Antônio Luiz trabalhou em várias obras públicas no município de Potengi, como a construção do açude das Baraúnas, nas construções de outros açudes e nas obras de emergências na época da SUDENE. Essas construções de açudes ocorriam em tempo de estiagem, quando não tinha inverno Antônio Luiz trabalhava nessas obras, tendo inverno o trabalho era no roçado. No roçado ele fazia tudo, “brocava”, “encoivarava”, depois esperava as chuvas para fazer o plantio. O cultivo era de milho, feijão, arroz, fava, mamona, algodão. A mamona e o algodão eram vendidos para comerciantes da cidade, os outros produtos poderia ser vendidos também, mas se houvesse excedente, pois seu cultivo era para o sustento da família e para o próximo plantio havendo inverno.

Outra obra pública que em Potengi Seu Antônio Luiz trabalhou foi na construção das primeiras casas populares. Essas atividades que Antônio Luiz fazia coexistiam com a vida de brincante de reisado, pois o mesmo começou a brincar no reisado de caretas do Senhor Chagas em 1980, vivenciando essa experiência e dotando sua vida dessa identidade da cultura popular da cidade de Potengi. É nesse reisado que Antônio Luiz de Souza realiza seu sonho de ser brincante de reisado de caretas, pois desde a infância sonhava brincar reisado, e na primeira oportunidade soube realizar seu sonho, e seu sonho foi muita além daquilo que imaginava. Hoje, no ano de 2019, Antônio Luiz de Souza, aos 62 anos de idade ainda brinca e conduz os brincantes e as figuras do reisado em todas as apresentações que o reisado realiza, seja em Potengi ou cidades do Cariri Oeste. Ele é dono do reisado dos caretas do Sassaré, reconhecido como mestre de cultura, recebeu o título de notório saber em cultura popular, por onde passa com o reisado ou individualmente leva o nome da cidade de Potengi, sendo este, umas das maiores referência da cultura popular deste município; participa há anos do encontro mestres do mundo, sua casa foi transformada em um museu orgânico que recebe visitações internacional e nacional.

Histórico do Reisado de Caretas do Sítio Sassaré

A origem do reisado de careta do Potengi, nos remonta para o sítio Sassaré, localizado na zona rural. Antônio Luiz de Souza, mestre e brincante de reisado a mais de 40 anos, conta que quando era criança cresceu ouvindo a história do reisado de caretas do Sassaré, através de sua mãe Neuza Francisca de Souza que presenciava as brincadeiras do reisado com a sua mãe, avó de Antônio Luiz, a senhora Luiza de Souza Lima que era quem falava e levava sua filha para ver o reisado na lagoa do Sassaré. Sua avó e sua mãe foram testemunhas da existência desse reisado de caretas, pois as mesmas retratavam ao menino Antônio Luiz, da vida e a arte de brincante de careta de reisado, onde seu bisavô e seu avô Benedito de Souza Lima foram uns desses brincantes, e esse reisado sempre festejava o Dia de Reis no terreiro as margens da lagoa do Sassaré, por volta da década de 1930. Antônio Luiz descreve que seu bisavô foi mestre desse reisado de caretas, mas na época não era essa denominação, eles chamavam de reis de careta a qual o rei usava uma careta com uma espécie de coroa na máscara. Esse reisado de caretas do sítio Sassaré ficou inativo vindo a se reativar com o Sr. Antônio Luiz.

Antônio Luiz começou a brincar no grupo de reisado no ano de 1975, e o mestre Chagas feitor das máscaras e dos entremeios que são figuras presentes no reisado. Todo conhecimento que Seu Antônio Luiz adquiriu sobre reisado foi transmitido pelo senhor Antônio Muliquim. No Reisado de caretas de Chagas o mestre Antônio Luiz herda as máscaras e alguns entremeios onde o mestre recria a tradição de reisado de caretas do sítio Sassaré, e desde esse resgate cultural, o reisado de caretas de Potengi celebra o dia de Santos Reis, 6 de janeiro, no terreiro casa do mestre Antônio Luiz.

Antônio Luiz de Souza relata que o reisado obteve reconhecimento dessa manifestação da cultura popular da cidade de Potengi quando em 1999 Oswald Barroso, Tiago Santana e Camilo Santana vieram na cidade de Potengi, no sítio Sassaré conhecer o reisado de caretas, na ocasião os caretas fizeram uma apresentação no terreiro da casa de Mestre Antônio Luiz onde foi registrado emblemática da foto do reisado.

Jean Pierre, cinegrafista e cineasta francês, no final da década de 90, veio à comunidade do sítio Sassaré para gravar um filme, de nome: romance de terra e água. Das apresentações que o reisado fizeram temos: participação do reisado de caretas do Sassaré no encontro de reisados do Nordeste na Paraíba em Poço de Zé de Moura e na cidade de Sousa. O reisado também já foi fazer uma apresentação no teatro José de Alencar em Fortaleza. Umas das primeiras apresentações do reisado de caretas do Sassaré fora da cidade de Potengi foi no município de Assaré em 1989, em homenagem a Patativa no seu aniversário de 80 anos, 20 anos depois o grupo volta na cidade do Assaré para fazer uma apresentação no centenário de Patativa. Por três vezes o reisado esteve na Universidade Regional do Cariri URCA na cidade do Crato. Desde quando Antônio Luiz ficou à frente do reisado de caretas, as ações e apresentações vem tendo reconhecimento e fortalecendo a brincadeira de reisado em Potengi e toda região do Cariri oeste e do nordeste. Seu Antônio Luiz também fazia uma participação na banda Ferreros da cidade de Potengi.

No ano de 2009, o mestre Antônio Luiz, do reisado de caretas do sítio Sassaré recebeu o título de mestre da cultura. Os mestres de cultura do Estado do Ceará são reconhecidos pela lei de número 13.351/2003 e 13.842/2006, que instituem o registro dos Tesouro Vivos da Cultura do Estado do Ceará. Em 2016, o mestre Antônio Luiz recebeu o título de notório saber em cultura popular pela Universidade Estadual do Ceará. E em 2017, recebe certificado reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional-IPHAN referente ao encontro dos mestres do mundo, encontro este, que recebeu mais um reconhecimento como mestre de cultura. Antônio Luiz já participou de todos, são nove anos de participação no encontro dos mestres do mundo. No ano de 2019, Mestre Antônio Luiz de Sousa recebe da Academia de Letras do Brasil-Seccional Araripe-Ceará certificado de reconhecimento aos serviços prestados à cultura popular, sobre tudo por meio do grupo de reisado de caretas de Potengi e da sua importância e preservação material e imaterial. Em 18 de setembro de 2018, a casa do mestre Antônio Luiz de Souza torna-se museu, projeto realizado pela Fundação Casa Grande, Nova Olinda –Ceará e o Sistema Fecomércio - CE, por meio do seu braço social, o Serviço Social do Comércio (Sesc-Ceará), reconhece um novo tipo de Museu permeado pela organicidade.

A Reisado de Caretas do sítio Sassaré completo é 12 caretas e as figuras. O velho e a velha são o pai e a mãe dos caretas. O boi é a atração principal. As figuras de entremeios são os personagens do reisado que entra em cena no meio do espetáculo do reisado como: o boi, a ema, o cavalo, o carneiro, a burrinha, o velho e a velha, o Jaraguá ou babau, o urubu ou urubaco e o jegue. O reisado de Caretas vem atuando ativamente, mantendo a tradição, este patrimônio e o legado dos antepassados. O reisado de caretas de Potengi é a maior expressão viva da cultura popular potengiense.

Brincantes

    Antônio Luiz de Sousa- Mestre do Reisado de Caretas

    Francisco José de Amorim (Chico Cazuza) - careta brincante

    Joel Ferreira Neves Riberio- Careta brincante

    Damião dos Santos Pereira (Dão)- careta brincante

    Pedro Henrique Nunes Santos- careta brincante

    Francisco dos Santos Pereira (Keka)- Careta brincante

    Reginaldo Sebastião (Regi)- careta brincante

    Cícero Ismael Pereira Rodrigues- careta brincante

    Eliezio Sebastião de Araújo- careta brincante

Músicos

  • José Saymon Rodrigues Pereira- violonista
  • Antônio dos Santos Pereira- zabumbeiro
  • João de Almeida Ferreira- triangulista